A instrumentalização, o canto ou até apreciação musical, tornou-se comum no tratamento de doenças no mundo todo, trazendo bons resultados e melhoras significativas para a qualidade de vida de inúmeras pessoas. Hoje vamos conhecer um pouco mais sobre TDAH; O que é? Quais os benefícios que a música proporciona aos pacientes que são diagnosticados com esta doença?

O que é o TDAH?

TDAH, abreviação de Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade, é um transtorno neurobiológico de causas genéticas cada vez mais comum entre as crianças principalmente as do sexo masculino, sendo reconhecido por vários países e pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Em alguns países, como nos Estados Unidos, portadores de TDAH são protegidos pela lei e recebem tratamento diferenciado na escola. O TDAH manifesta seus primeiros sintomas ainda no início da infância, com grande probabilidade de acompanhar o indivíduo ao longo de toda sua vida. Os sinais mais comuns da doença são a falta de atenção,a hiperatividade -impulsividade. Também conhecido como DDA, Distúrbio do Déficit de Atenção, esta doença quando não diagnosticada e/ou não tratada de forma adequada, pode trazer sérios prejuízos à infância e a fase adulta da pessoa. Segundo a Associação Brasileira do Déficit de Atenção (ABDA), essa patologia está presente entre 3% e 5% das crianças brasileiras, é um dos transtornos que têm sido trata dose controla dos com auxílio da musicalização.

PorAteliêdaMúsicaS&G
Alguns estudos mostram que o consumo de álcool, nicotina, exposição a chumbo, disfunção hormonal, sofrimento fetal podem ter ligação com a síndrome, mas é importante ressaltar que muitos destes estudos somente nos mostram uma associação entre estes fatores, masnão mostramuma relação de causa e efeito.

A música como contribuinte para o controle do TDAH.

Um tratamento eficaz para o TDAH exige mais do que intervenções medicamentosas. Este deve ter uma abordagem múltipla, que envolva não somente o uso de remédios apropriados às necessidades específicas do paciente, mas também ferramentas para o desenvolvimento de aspectos comportamentais, psicológicos e emocionais do mesmo. E é exatamente aqui que a música se encaixa. A aprendizagem e a apreciação musical exercitam as habilidades carecidas pelos portadores do TDAH, tais como a disciplina e a concentração. Outros aspectos trabalhados são os sintomas de hiperatividade e impulsividade, que apresentam melhoras ao realizarem exercícios de ritmo musical e de organização tempo-espaço. A percepção do tempo também é aperfeiçoada por meio da musicalização. Essa percepção, tão carente nos portadores da TDAH, é desenvolvida com o auxílio de exercícios como por exemplos exercícios de tempos pré-determinados. Além disso, a música minimiza sintomas de ansiedade e proporciona bem-estar, seja pelo relaxamento promovido pelo fazer musical, ou seja pela alegria que a atividade gera. Um fator que se destaca é a melhoria no convívio social, uma vez que a prática musical envolve relacionamentos desafiadores, como a interação entre os músicos e a plateia.

Referências Barreiros, Rafael. A música como aliada no tratamento do Déficit de Atenção. 2016. Disponível em: <https://www.rafaelbarreiros.com.br/a-musica-como-aliada-no-tratamento-do-deficit-de-at encao/> Acesso em 15 de out. 2018.

Sturk, Ricardo. Eu sem Fronteiras: Musicoterapia para o TDAH, Disponível em <https://www.eusemfronteiras.com.br/musicoterapia-para-o-tdah/> Acesso em 15 de out. 2018.