[dropcap]A[/dropcap]lém de chuva forte com granizo, típico da primavera, que pode danificar os pomares e as plantações, outro fenômeno deixa os agricultores da Serra Catarinense em alerta. Há previsão de geada ainda no decorrer desta semana.

Segundo o engenheiro agrônomo da Climaterra, Ronaldo Coutinho do Prado, uma nova frente fria deve chegar em Santa Catarina, e traz a possibilidade de geada em alguns pontos isolados da Serra Catarinense.

Em São Joaquim, por exemplo, segundo o secretário-executivo da Associação dos Produtores de Maçã e Pêra de Santa Catarina (Amap), Maurício Montibeller, setembro e outubro são os meses da florada, época em que os pomares de maçãs e de pêras cobrem-se de flores. Embora, a previsão indique uma possibilidade remota, sempre há preocupação. “Nesta época, ocorre o início da brotação e florada. E o gelo pode danificá-los, prejudicando a produção dos frutos”.

No pomar de maçãs, na localidade do Guará, em Lages, a floração e brotação está mais atrasada. Porém, para o produtor e sócio, Edson Branco, isso é um ponto positivo para escapar do frio fora de época. Ele ressalta, que nesta fase, a  chuva com granizo pode ser mais prejudicial do que a própria geada. “Mas é bom sempre ficarmos em alerta” avalia o fruticultor.

Em relação ao frio, a expectativa de Edson é que a geada tardia não prejudique a floração do pomar, que ocupa cerca de 60 hectares, divididos entre a produção da maçã gala e da fuji. Ele explica que a quebra química de dormência, que tem por objetivo uniformizar a brotação, foi feita mais tarde propositalmente.

“Não estamos muito preocupados com o frio, pois como forma de prevenção, fizemos a quebra de dormência tardia. Com isso, a brotação e a floração está um pouco atrasada, só que assim, o risco de serem danificadas pelo gelo também é baixo, pois ainda não têm frutos”.

O produtor Edson Branco explica que a floração tardia é menos prejudicada pela geada. Foto CL MAIS

Granizo não causou danos significativo aos pomares

Em relação ao temporal de granizo, que atingiu, pelo menos, seis localidades no interior de São Joaquim, no dia 23 de setembro, o secretário-executivo da Associação dos Produtores de Maçã e Pêra de Santa Catarina (Amap), Maurício Montibeller, explica que os danos não foram significativos, que apesar do acúmulo de pedras, a floração não foi danificada. Com isso, não prejudicará a safra. “Na maioria dos pomares atingidos pelo temporal com granizo, as plantas foram protegidas pelas telas”, afirma Montibeller.

Nova frente fria

Outra frente fria avança na quarta-feira (3) pelo litoral da Região Sul e mantém o tempo instável. Possíveis aberturas de sol isoladamente. Ainda poderá ter chuva e ventos fortes em Santa Catarina. As condições para chuva diminuem bastante na quinta-feira. Vai esfriar na sexta-feira (5), e não se descarta alguma geada em áreas da Serra Catarinense.

A partir de quarta, as temperaturas caem, principalmente no topo da Serra e Litoral Sul. Mínimas de 11°C e 16°C na maior parte de Santa Catarina, e, entre 4°C  e 7°C nas áreas mais altas da Serra, no fim da noite. Máximas oscilam entre 15°C e 18°C nas cidades da Serra. “Nós já havíamos alertado em agosto/começo de setembro sobre essa possibilidade de frio e geada tardia”, recorda o engenheiro agrônomo da Climaterra, Ronaldo Coutinho.

Ele explica, que os dados ainda indicam chances de outro frio tardio com risco de danos nas lavouras no decorrer da próxima semana, principalmente nas áreas mais altas da Serra da Catarinense. “Caso ocorra, o frio ao amanhecer nessas regiões, prejudicará as lavouras de verão recém plantadas, que ficarão mais propícias ao desenvolvimento de doença de frio”.

Fonte:CLMAIS