Por Karollayne Rosa/NSC

Respeitar as sinalizações de segurança do local é atitude fundamental para evitar acidentes(Foto: Caio Marcelo/Agência RBS)

[dropcap]C[/dropcap]om a chegada do inverno, os mirantes tornam-se o cenário ideal para quem escolhe passar os dias mais frios do ano na Serra catarinense. Mas se não houver cuidado, a vista panorâmica da cidade que só a altura consegue proporcionar pode acabar resultando em graves acidentes.

Apesar de parecer óbvio, nunca é demais lembrar que a indicação de segurança indispensável para evitar queda é respeitar as normas de segurança dos locais visitados. Na manhã de domingo (23), um turista caiu de uma altura de aproximadamente 25 metros no mirante da Serra do Rio do Rastro, em Bom Jardim da Serra.

Para o bombeiro militar Luciano Rangel, que atua no 5° Batalhão, em Lages, respeitar o espaço destinado à observação garante 90% da segurança.

— As pessoas tentam extrapolar o limite definido pelo parque. Se a organização já definiu um limite para os turistas acessarem, é porque já tem um estudo, engenheiros já analisaram a viabilidade até o limite máximo — conta.

Apesar de o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina não ter estatística específica sobre salvamentos em mirantes, Rangel recorda de outras três pessoas que caíram em mirantes em 2018. Os casos aconteceram na rota dos cânions em Bom Jardim da Serra.

O ditado bastante usado no verão direcionado aos banhistas “água no umbigo é sinal de perigo” também vale para as alturas.

— Muitas vezes as pessoas esquecem que a região da cintura, no umbigo, é nosso centro de gravidade — explica Rangel, salientando que os objetos de proteção servem justamente para impedir o avanço nas áreas de perigo.

Confira as dicas de segurança

A principal dica de acordo com o major do Corpo de Bombeiros Militar e comandante de Aeronave do Batalhão de Operações Aéreas (BOA) de Florianópolis, Túlio Tartari Zanin, é respeitar as área delimitadas.

— Os mirantes têm áreas cercadas por parapeitos, outros sistemas de segurança, e geralmente os acidentes acontecem em áreas não delimitadas. Então é preciso ficar sempre nas áreas próprias para visitação, nunca ingressar em áreas de risco — ressalta.

Jamais tente resgatar objetos

É comum ventar muito em cânions por conta de suas condições geográficas. Por isso, é preciso ter cuidado quando algum objeto pessoal acabar caindo.

— Seja chapéu, boné, cachecol luva, qualquer objeto que for levado para a beira do penhasco, o indicado é não tentar resgatar. Nunca vá atrás de seus objetos caso ele seja levado pelo vento.

Selfies

As redes sociais hoje são uma das principais causas de acidentes em locais de mirante, cânios, trilhas, costões e afins de acordo com o major Zanin.

Ele orienta que o recomendável é buscar o melhor ângulo para as selfies parado. Primeiro é necessário achar o lugar e, só depois, pegar o celular na mão para fazer a foto.

— Muitas pessoas vão para a beira do penhasco fazer selfie e ficam se movimentando focadas no celular e perdem completamente a consciência da situação onde elas estão, dos riscos que estão rodeadas e acabam se envolvendo em acidentes gravíssimos por uma simples fotos.

Comunicação é fundamental

Além disso, manter o celular carregado, evitando gastar bateria sem necessidade, é muito importante.

— Já que o pessoal usa bastante para postar em rede social, e como a internet é um pouco difícil nesses locais, o celular fica procurando rede e consumindo bastante bateria. Em caso de emergência, a pessoa pode ficar sem comunicação.

Atenção aos diabéticos

Pessoas que possuem doenças que a tornem vulneráveis à vertigem, tontura, hipoglicemia, diabetes, hipotensão, hipertensão, desmaios ou mesmo fobia de altura, podem facilmente perder o equilíbrio em áreas de cânion ou mirante. É preciso ter cuidado especial nesses casos.

Cuidado com os pets

Animais de estimação, sobretudo cachorros, devem estar sempre com guias. Também é preciso segurá-los muito bem para evitar acidentes.

— Eles podem acabar indo para a beira do penhasco atrás de animais silvestre — explica.

Evite brincadeiras de mal gosto

Ameaçar empurrar alguém no penhasco, por exemplo, é uma brincadeira que deve ser evitada. É preciso ter total atenção quando se está no alto de um penhasco. Uma simples brincadeira pode acabar gerando acidentes fatais.

Atenção onde pisa

É preciso ter cuidado com locais escorregadios, com limo e umidade, assim como rochas e fendas.

— Às vezes a gente vai pisar na vegetação e ela está ocultando um buraco, podendo causar um acidente seríssimo — ressaltou.

Fonte: NSC Total​