Um marco na história do PSL/SC e mais um passo para uma Santa Catarina diferente. Assim pode ser considerada a noite desta sexta-feira (18), marcada pela diplomação do Governador Carlos Moisés da Silva, da Vice-Governadora, Daniela Reinehr, e dos deputados federais e estaduais do PSL/SC, eleitos em outubro.

O evento, selando a trajetória de sucesso do PSL/SC, que de desconhecido passou a ser protagonista, teve como sede a sala de sessões Ministro Teori Zavascki, localizada no Tribunal de Justiça, em Florianópolis.

Para o Presidente do Partido Social Liberal no Estado, Lucas Esmeraldino, a data de hoje é um marco no cenário político, tanto para Santa Catarina, quanto para a sigla partidária.

“As diplomações dos nossos Deputados eleitos e do nosso Governador é o início do que estamos há meses projetando, plantando e construindo, com seriedade e firmeza, em Santa Catarina. E a parti de agora, a renovação e o desejo de fazer mais e melhor pelo cidadão catarinense sairá do papel e se transformará em ação, bem-estar e muito trabalho. Essa é a missão do PSL/SC e seus eleitos”, enfatiza Esmeraldino.

Em seu pronunciamento, o Governador diplomado, Carlos Moisés da Silva, fez questão de enfatizar que o que o moveu até aqui foi um sentimento de um cidadão que sonha com um compromisso de melhorar a vida das famílias, que vivem nos 295 municípios que formam o Estado.

“É uma honra ser escolhido, ao lado da primeira mulher vice-governadora, para executar as mudanças que o cidadão catarinense deseja. Estamos comprometidos com a missão que nos foi dada e, por isso, vamos enxugar a máquina, e assim, melhorar a saúde, oferecer mais educação e mais segurança pública. Trabalharemos para que Santa Catarina prospere, com seriedade, honestidade e eficiência. Essa é a marca do nosso povo e será a marca do nosso governo”, finaliza Moisés.

Trajetória do PSL/SC

De partido sem nenhuma executiva municipal organizada em março deste ano, o Partido Social Liberal (PSL) de Santa Catarina foi um dos grandes cases de sucesso das últimas eleições. Em apenas cinco meses a sigla contabilizou 180 executivas municipais, sendo 120 homologadas. Tudo sob a direção do presidente estadual, escolhido por Jair Bolsonaro, o jovem Lucas Esmeraldino.

Todo este trabalho partidário foi decisivo, também, para o brilhante desempenho do PSL nas eleições, elegendo governador, seis deputados estaduais e quatro federais. E por muito pouco, o próprio Esmeraldino não conquistou uma cadeira no Senado.

O PSL-SC foi o partido que mais lançou candidatos a deputados estaduais e federais, além de disputar em chapa pura na majoritária. Foram 40 postulantes à Assembleia e 19 concorrentes à Câmara Federal. Além disso, muitos outros pré-candidatos acabaram ficando de fora em função da limitação legal, que impõe números mínimos e máximos de candidatos.