Foto: Aires Mariga / Epagri

A previsão do tempo da Epagri/Ciram indica frio intenso para esta segunda e terça-feira (19 e 20), causado pela entrada de uma massa de ar polar. As partes altas do estado vão registrar temperaturas negativas. Para o mês de agosto, há previsão de mais duas massas de ar polar fortes, provocando temperaturas do ar abaixo da média histórica.

A formação de geada pode impactar negativamente na atividade agrícola e pecuária, causando prejuízos em cultivos e criações sensíveis ao frio. Para contornar a situação, a Epagri informa algumas práticas mitigadoras para enfrentar as baixas temperaturas.

Mas não são todos os cultivos que sofrem. Há quem comemore as baixas temperaturas, que provocam acúmulo de horas de frio, essencial para algumas culturas. Para as fruteiras de clima temperado, como maçã e uva, que estão no período de dormência, o frio extremo possibilita brotações vigorosas, favorecendo a floração e a frutificação. As baixas temperaturas também são importantes reguladoras de populações de insetos-praga, como as cigarrinhas que atacam o milho, e de plantas guaxas de milho e soja.

Fruticultura de clima temperado: Ameixa, pêssego, nectarina e maçã

Neste ano, o acúmulo de frio, acima da média histórica, favorece o período de dormência das fruteiras (maçã, uva, pêssego, ameixas) e de demais espécies de clima temperado. O agricultor deve ter atenção quanto à possibilidade de ocorrer brotação e floração antecipada nas variedades mais precoces.

A Epagri orienta os fruticultores a executarem práticas para adequar a brotação das plantas, em função da possibilidade de ocorrência de frios tardios. Retardar a execução das podas de inverno o máximo possível; atrasar a aplicação de produtos promotores de brotação (quebra de dormência); aplicar produtos que provocam atraso nas brotações, como a calda bordalesa; e atrasar o plantio dos pomares novos o máximo possível são alguns dos manejos recomendados.

Em pomares onde já está ocorrendo a brotação, ou onde não for possível atrasar as práticas de podas e quebra de dormência, orienta-se que o produtor empregue manejos que minimizem a perda das fruteiras por frio, como o sistema de irrigação por aspersão. Na iminência de geada, é possível fazer o controle com uso da irrigação por aspersão na madrugada que antecede a possível geada, no caso da temperatura baixar de 0°C.

As perdas ocorrem quando as temperaturas abaixam de -1,5°C. Quem já conta com sistema de irrigação por aspersão tem uma ferramenta importante no enfrentamento da situação. Quem não dispõe, deve pensar em instalar como modo de preparação para os próximos episódios de geadas, buscando os programas de crédito fornecidos pelo Governo Federal, via Pronaf, e pela Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural.