[dropcap]P[/dropcap]ara os fruticultores de São Joaquim, não basta manter o olhar atento para os pomares de maçã. Os sites de monitoramento da previsão do tempo, principalmente do frio, são igualmente importantes para que a próxima colheita seja satisfatória. Com atual condição meteorológica, os produtores se mantêm atentos, já que as horas de frio continuam a aumentar – o que é de extrema importância para garantir a qualidade dos frutos.

De acordo com o engenheiro agrônomo do site Climaterra, Ronaldo Coutinho, o mês de agosto tem mantido temperaturas boas para que as produções sigam em ritmo normal. Entretanto, só será possível saber como as instabilidades climáticas realmente afetaram as plantações no período da florada, que acontece no final de setembro e começo de outubro.

As geadas também não têm afetado as plantações, já que plantas estão dormentes. Mas se continuarem ocorrendo a partir da segunda quinzena de setembro, pode acontecer de prejudicar a brotação. Como esclarece Coutinho, tudo isso dependerá do estágio da fruta. “Uma questão de dias ou a diferença de um grau na temperatura, pode parecer pouco, mas é decisivo”, ressalta.

O secretário de Agricultura de São Joaquim, Volnei Francisco Beckhauzwel Júnior, acrescenta que a questão climática ainda não está interferindo de forma expressiva na rotina dos produtores. Entretanto, a forma em que o frio e as temperaturas mais elevadas tem se comportado, têm interferindo na homogeneidade da plantação. Devido as poucas horas de frio, algumas produções não parelhas – ou seja – as plantas não estão todas nas mesmas fases. Volnei explica também que as macieiras precisam de uma certa quantidade de horas/frio e caso não seja uniforme, os pomares começam a brotar de forma não parelha e se perde a produtividade.

Caso as ondas de frio permaneçam até mais tarde, a partir do mês de setembro, pode vir a prejudicar de forma mais grave as plantações. Entretanto, há esperanças para que até o final do mês sejam acumuladas mais horas de frio.

Risco permanece

O ideal para uma boa produção, são 900 horas de frio (com temperatura baixo de 7°C), como explica o secretário executivo da Associação dos Produtores de Maçã e Pêra da Região (AMAP), Maurício Montibeller. Até o momento foram registradas cerca de 600 horas em São Joaquim, o que é considerado bom e satisfatório.

Com a expectativa de baixas horas de frio, alguns produtores optaram por adiantar as podas, que deveriam acontecer entre julho e agosto, mas foram realizadas em maio e junho. Com isso, são retirados os excessos de galhos sem produtividade, senão a seiva vai para galhos sem produção. Mas em relação ao ano passado, há melhorias. “Em 2018, foram 352 horas e hoje já está beirando a 600 horas. Com mais uns dias de frio intenso, acho que conseguem um 80% do ideal”, ressaltou Maurício.

De acordo com a Amap, só em São Joaquim são cerca de 2 mil produtores de maçã. 99% deles cultivam os tipos gala e fuji. No ano passado, foram colhidos 324 mil toneladas de maçã e para este ano, a expectativa é que 400 mil toneladas sejam colhidas.

Em São Joaquim

324 mil toneladas (2017/8)

400 mil toneladas (2018/9)

2 mil produtores

Santa Catarina

600 mil toneladas (2017/8)

16 mil produtores

R$ 536,7 milhões foi o Valor Bruto de Produção Agropecuária do fruto em 2018

Fonte: CL MAIS