[dropcap]O[/dropcap] Joaquinense Clóvis Francisco de Oliveira – Téc. Segurança do trabalho, desenvolveu dicas e orientações para o comércio de São Joaquim conviver com as novas orientações sobre o COVID 19. Clovis fez o material visando ajudar o comércio e os pequenos empreendedores, que vão ter que se adequar com essa fase.

 

“DICAS” DE SEGURANÇA PARA AS ATIVIDADES COMERCIAS DURANTE A FASE CRITICA DO COVID 19

Tendo em vista que em sua maioria, as empresas do ramo do comércio não são obrigadas pela legislação a manterem em seu quadro funcional os profissionais de segurança do trabalho,  isso se deve ao grau de risco da atividade ser considerado baixo, estamos compilando dicas extraídas de documentos oficiais da ANVISA, MINISTÉRIO DO TRABALHO, MINISTÉRIO DA SAUDE, ORGANIZAÇAO MUNDIAL DA SAUDE, CONSELHO FEDERAL DE QÚIMICA e outros órgãos orientadores a fim de esclarecer e orientar aos trabalhadores e empresários quanto ás medidas de segurança e prevenção, para que desenvolvam suas atividades com a maior segurança possível e mantenham o país funcionando como sempre fizeram de maneira brava e guerreira.

O risco biológico é considerado existente quando há microrganismos capazes de provocar doenças no homem, como vírus, bactérias, protozoários, parasitas, fungos, entre outros.  Todas as pessoas estão expostas a esses microrganismos o tempo todo, quando andam de transporte público, na escola, no shopping, no trabalho e até mesmo em casa, resta agora nos preparamos para enfrentar mais essa situação, assim com já fizemos com o HIN1, TUBERCULOSE, DENGUE, CÓLERA, MALÁRIA e outras tantas doenças que hoje convivemos.

No comercio, embora não se tenha a certeza de estarmos lidando com clientes infectados como ocorre nos hospitais, trabalhamos com a incerteza, pois o cliente pode estar infectado e não saber, por esse motivo, devemos adotar um comportamento preventivo e seguir rigorosamente as orientações dos técnicos da área e autoridades, a fim de preservar a saúde e evitar o contágio. Todos os empresários em algum momento já tiveram o desprazer de tratar de problemas relacionados às doenças do trabalho e acidentes de trabalho, e nesse momento ascende um alerta em função da pandemia.

Um trabalho preventivo bem feito, além de manter o cuidado com a vida e a segurança do trabalhador, pode poupar aos empregadores muitos dessabores futuros relacionados aos afastamentos causados por doenças e acidentes do trabalho. Principalmente agora com a retomada das atividades após um período de perdas consideráveis, quando precisamos correr atrás do prejuízo, não podemos esquecer ou negligenciar essas medidas. Dessa forma estaremos evitando problemas de maior complexidade no futuro.

1 Dicas de prevenção para os locais de trabalho

As principais fontes de contaminação são provenientes do contato da mão com a boca, da mão com os olhos, ou por meio de toque em feridas superficiais na superfície cutânea exposta e pela perfuração da pele.

Recomendações baseadas na NR 32 do Ministério de Trabalho, referente ás medidas de prevenção contra riscos biológicos, à norma trata do serviço de saúde, porém existem medidas simplificadas que podem ser estendidas aos demais setores.

Os Equipamentos de Proteção Individual – EPI, descartáveis ou não, deverão estar à disposição em número suficiente nos postos de trabalho, de forma que seja garantido o imediato fornecimento ou reposição (ex. luvas, máscaras, óculos, álcool gel);

Ter cuidado especial com o consumo de alimentos e bebidas, dando uma maior atenção procedimentos de higiene por ocasião das refeições, bem como intensificar a higienização dos locais de guarda e preparo de alimentos como micro-ondas, geladeiras, panelas, copos e talheres;

Dentro do possível, estipular horários diferenciados para lanches e alimentação, evitando o acumulo de pessoas em um mesmo ambiente;

O uso de calçados abertos não é recomendado no local de trabalho, pois isso expõe os pés do trabalhado ao contato com possíveis agentes contaminantes;

Instrua seus colaboradores quanto às medidas de prevenção da forma mais clara possível e constantemente, pois prevenção é um ato contínuo.

As instruções devem ser entregues ao trabalhador, mediante recibo, devendo este ficar à disposição da inspeção do trabalho;

Os trabalhadores que utilizarem objetos perfuram cortantes devem ser os responsáveis pelo seu descarte. (caso de farmácias e laboratórios).

Não lavar ou usar novamente o mesmo par de luvas (as luvas não devem ser reutilizadas), nem reutilizar as mascaras descartáveis;

As máscaras descartáveis não devem ser reutilizadas;

O uso de luvas não substitui a higienização das mãos; e proceder à higienização das mãos imediatamente após a retirada das luvas, para evitar a transferência do vírus para outros trabalhadores ou ambientes.

Outra medida simples de prevenção, que pode ser adotada pelo comércio em geral e a disponibilização de tapetes embebidos em solução de hipoclorito – água sanitária –  (um copo de 50 ml para cada  para 01 litro de água (recomendação do site https://pfarma.com.br/coronavirus/5355-agua-sanitaria.html), a fim de realizar a desinfecção de calcados.

Manter os ambientes ventilados e orientar constantemente os clientes a preservarem a distancia de recomendada, 1m, e evitar aglomerações desnecessárias;

Um medida importante é conseguir manter as entregas delivery a fim de atender principalmente a classe vulnerável, evitando a exposição do publico idoso e pessoas doentes.

Utilize lixeiras com tampa de acionamento por pedais, a fim de evitar o contato com o material descartado, os sacos devem ser removidos e substituídos quando estiverem com 2/3 de sua capacidade ou pelo menos uma vez a cada 24 horas. ( Informações retiradas do documento Protocolo de Manejo Clínico de Síndrome Respiratória Aguda Grave do  Ministério da Saúde – 22/04/2010.)

Deve ser dada preferencia para a utilização individual de equipamentos eletrônicos, sempre que possível, e quando for utilizado por mais do que um trabalhador, realizar a desinfeção com álcool gel 70% antes de uma nova utilização;

Os trabalhadores devem ser afastados do trabalho e procurar atendimento médico assim que apresentarem sintomas, a fim de serem monitorados pelo serviço de saúde.

AS EMPRESAS DEVEM ANALISAR A SUA PARTICULARIDADE A FIM DE ADEQUAR SITUAÇÃO ESPECIFICA E ADOTAR AS MEDIDASS DE PREVENÇÃO CORRETA.

2 Medidas de desinfecção e higiene

O álcool 70% é uma das soluções mais eficientes para a desinfecçãode mãos, superfícies, utensílios, equipamentos, maçanetas e corrimão. A limpeza constante dos locais em que há trânsito de pessoas é de extrema importância para evitar riscos biológicos.

A limpeza e desinfeção de pisos, calçadas, rampas deve ser feita constantemente, evitando o desperdício de água, para essa limpeza tem sido recomendada a solução de hipoclorito de sódio conforme recomendação do site https://pfarma.com.br/coronavirus/5355-agua-sanitaria.html, um cuidado especial deve ser dado a aplicação dessa solução em matérias metálicos madeiras e plástico, pois tem potencial corrosivo e o uso prolongado pode provocar danos, devendo dar preferência a utilização de álcool gel ou ate mesmo água e sabão par limpar móveis, aparelhos eletrônicos, telefones, teclados e mouses de computadores.

Observe a técnica correta de remoção de luvas para evitar a contaminação das mãos,

– Retire as luvas puxando a primeira pelo lado externo do punho com os dedos da mão oposta;

– Segure a luva removida com a outra mão enluvada; e

– Toque a parte interna do punho da mão enluvada com o dedo indicador oposto (sem luvas) e retire a outra luva.

2 DICAS AOS TRABALHADORES EM GERAL

Evite aglomerações em locais de trabalho, em supermercados e comércio em geral, mantendo sempre uma distancia segura das demais pessoas;

Mantenha a etiqueta da tosse e espirros;

Utilizar os equipamentos de proteção individuais fornecidos de acordo com as orientações do empregador;

Ao chegar do trabalho realizar a higiene pessoal adequada antes de manter contato com os demais familiares;

Não utilizar os calçados e uniformes de trabalho dentro de casa;

Realiza a higienização dos uniformes constantemente;

Evira tocar em superfícies de uso comum desnecessariamente;

Tente auxiliar seus familiares mais idosos , buscando o que os mesmos necessitam e poupando-os de exposição desnecessária, esta ajuda pode ser estendida a vizinhos e parentes.

Informe seu chefe imediatamente ao sentir qualquer sintoma, evite por em risco a saúde de seus colegas e também familiares.

Carregue consigo uma embalagem pequena de álcool gel e realize a higiiene das mãos sempre que possível. Evite apertos de mão e contato físico com outras pessoas sem necessidade.

Busque informações constante e atualizada, pois a informação também é uma arma contra a pandemia.

Estas orientações não possuem nenhum fim lucrativo, foram elaboradas a fim de ajudar a esclarecer os procedimentos de segurança e fortalecer a campanha contra o COVID 19 e ajudar aos empresários e população a adotarem as medidas de segurança.

Lembrem-se prevenir ainda é o melhor remédio!

 

 

Elaboração: Clóvis Francisco de Oliveira – Téc. Segurança do trabalho – Reg. DRT/004927-1