[dropcap]R[/dropcap]ecentemente, foi realizado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, mais uma edição da Exposição Brasileira de Vinho – ViniBraExpo, que degustou e classificou inúmeros rótulos de vinícolas de todo o Brasil, e Santa Catarina ficou com alguns prêmios.

Entretanto, aproveitando a realização do evento, o colunista do Jornal O Globo, o maior do Rio, Pedro Mello e Souza, compareceu ao evento para degustar alguns rótulos e detalhar a experiência na coluna “Letras Garrafais”, e sobraram elogios para vinhos produzidos em São Joaquim.

Na coluna, Pedro percorre a história e demonstra a grande utilização de uvas italianas nos vinhos brasileiro, também pudera, tivemos uma grande leva de imigrantes do país da bota no século XX, principalmente. E nas análises feitas por ele, dois vinhos chamaram a atenção por suas mesclas ímpares.

O primeiro destaque do colunista é da vinícola Leone di Venezia, que misturou no processo de fabricação de um de seus rótulos, 4 uvas de distintas regiões italianas, “resultando numa mistura que pode soar um tanto quanto confusa e improvável, mas foi eleito revelação do ano do Guia Descorchados, uma espécie de Michelin dos vinhos da América do Sul”, destaca Souza.

Por fim, com uma combinação inédita no Brasil e, quiçá, no mundo, o destaque foi para o rótulo Arancione, da vinícola Villaggio Conti, também de São Joaquim. Neste rótulo, conforme explana o autor da coluna, são três uvas que produzem um vinho branco, muito seco e de equivalente sabor, mostrando mais uma vez a aptidão de São Joaquim na produção de bons vinhos.

Fonte: Blog Política Serrana