Lages – 23/11/2021 – O presidente da Associação e Sindicato Rural de Lages, Márcio Pamplona, na abertura daquele que foi o último leilão do ano organizado no Parque Conta Dinheiro apresentou os números que demonstram o movimento econômico, através da comercialização de gado. Em 2021, na comparação com 2020, a comercialização de animais teve um incremento de apenas 8,5%. No entanto, o faturamento ficou acima dos 75%. No ano passado, o volume financeiro alcançou R$ 16 milhões 639 mil. Neste ano, já computado o resultado da Feira de Gado Geral totalizou R$ 29 milhões 368 mil. “Esse volume financeiro foi alcançado somente em nossa jurisdição, o que demonstra a importância do agronegócio na economia local e do estado”, ressalta Pamplona.

Pista limpa

Todos os 378 animais distribuídos em 58 lotes foram comercializados na Feira de Gado Geral realizada na noite desta segunda-feira (22), no pavilhão de remate José Arruda Ramos. No final, o resultado das vendas fechou em R$ 1 milhão 474 mil. A média/quilo de preços para os bois R$ 11,61; novilhas R$ 11,65; vacas c/cria R$ 11,02; vacas servidas R$ 8,64 e vacas prenhas R$ 10,83.

Volta do público

O último evento presencial foi no início de março de 2020, na Feira de Gado Geral, em Painel. Com a pandemia, houve a mudança radical das regras, e uma feira cancelada. Conforme conta o dirigente rural Márcio Pamplona, era preciso encontrar uma alternativa para atender a necessidade de comercialização dos produtores. Com agilidade, em abril do mesmo ano foi possível retomar os negócios, a partir da proposta da realização de leilões virtuais, sem a presença do público e com todas as medidas de segurança, diante da ameaça do coronavírus. “No início houve certo receio, mas aos poucos a confiança no sistema foi crescendo”, lembra Márcio.

Segundo o dirigente, é possível prever a volta do público no ano que vem. A Feira desta segunda-feira pode ter sido a última com as cadeiras vazias do pavilhão. Obviamente, tudo irá depender das condições sanitárias. Por outro lado, Pamplona ressalta que o sistema virtual vai ocorrer em paralelo ao presencial, ou seja, mesmo com o público próximo e prestigiando. “O modelo virtual veio para ficar.  Porém, haverá a necessidade de uma adaptação, apenas”, confidenciou Márcio Pamplona.

Crédito Fotos: Paulo Chagas

Assessoria de Imprensa