Por meio de nota, o Ministério da Infraestrutura, baseado em informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), informou que foram registrados, nesta quarta-feira (08), pontos de concentração em rodovias federais com abordagem a caminhões em quatro estados, sendo a maior parte concentrada no estado de Santa Catarina.

O reflexo já pode ser visto em algumas cidades da região do Norte que, segundo informações do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Santa Catarina (Sindipetro/SC), aproximadamente 30 postos de gasolina estão sem combustível e vários aguentam só até o fim desta quarta-feira.

Segundo o presidente do Sindipetro/SC, Luiz Anotnio Amin, a situação é critica e pode piorar, mas o Sindicato está tentando resolver a situação.

“A gente já passou pela greve em 2018, quando foi criado o comitê de crise, e a situação foi resolvida e a cidade de Joinville não ficou desabastecida, a gente sabe que essa é outra situação da reivindicação dos caminhoneiros, sabemos que é critica e que pode piorar, mas estamos tentando resolver da melhor forma possível para que a região do Estado todo não fique desabastecido”, afirma Luiz Antônio Amin, presidente do Sindipetro/SC.

Na Grande Florianópolis, a situação também preocupa. Segundo o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Minerais da Grande Florianópolis (Sindópolis), Joel Fernandes, os postos foram abastecidos, no entanto, a gasolina só deve durar por um dia.

Ainda segundo Fernandes, se a situação de barreiras das centrais de distribuição de combustíveis continuarem, na quinta-feira (09) terá a possibilidade de falta de gasolina nos postos da Grande Florianópolis.

Fretes mais justos e combustíveis com menos impostos

De acordo com um representante da manifestação em Lages, os caminhoneiros reivindicam fretes mais justos e combustíveis com menos impostos. Segundo ele, os bloqueios podem continuar até a próxima sexta-feira (10).

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), estão ficando retidos apenas os veículos de carga. Automóveis e cargas com produtos perecíveis estão passando normalmente.

Fonte: SC10