Um dia após as Secretarias de Estado da Saúde e de Educação publicarem a portaria nº 778 que regulamenta o retorno às atividades presenciais nas escolas públicas e privadas em Santa Catarina, os prefeitos da Amures decidiram por unanimidade na tarde desta quarta-feira (07), manter as medidas de restrições e combate à Covid-19 e manter as aulas essencialmente na forma não presencial nos 18 municípios da Serra Catarinense.

A assembleia dos prefeitos por videoconferência, contou com participação dos Secretários Municipais de Educação, que também se posicionaram contrários ao retorno das aulas presencias. O coordenador do Programa Educação Municipal do Consórcio Intermunicipal Serra Catarinense – Cisama, Carlos Moreira, relacionou aos prefeitos inúmeras justificativas para a não retomada, com base em dados coletados junto aos municípios e familiares de alunos. Como compra de equipamentos de proteção individual – epi`s e por estar próximo encerramento do ano letivo e o risco de novas contaminações pelo aumento de circulação de pessoas, uma vez que as crianças são, em geral, assintomáticas.

O presidente da Amures, prefeito de Correia Pinto Celso Rogério Alves Ribeiro, observou também, que há limitações orçamentárias e financeiras. “Nossa decisão é de colegiado e assim evitamos aglomerações como tem recomendado o Ministério Público”, frisou. O prefeito de Lages, Antônio Ceron lembrou que se houver uma piora da Matriz de Avaliação de Risco Potencial com as aulas presenciais em curso, pode piorar a situação e gerar inúmeras dúvidas tanto entre gestores quanto na população.
Para os prefeitos, já que está havendo uma redução do número de novos casos, a prioridade deve ser a proteção a vida e uma possível retomada de aulas presenciais neste momento, mesmo que com ensino híbrido, pode contribuir para uma possível nova onda de contágios pelo coronavirus. Segundo pesquisa do Cisama junto às famílias, entre 40% a 90% das famílias responderam às Secretarias de Educação que não enviarão os seus filhos/dependentes com o retorno das aulas presenciais.

Os prefeitos trataram, ainda, sobre transporte escolar dos alunos da rede estadual que é feito pelos municípios. Na próxima semana o assunto será discutido caso a caso junto com a Secretaria de Estado da Educação.