Foto: Maykon Lammerhirt / Agencia RBS

[dropcap]S[/dropcap]ão Joaquim já tem um caso de Febre Amarela, o infectado pegou a doença em São Paulo, sendo importado de outro estado, mas São Joaquim integra área de risco da doença.

Clique aqui e obtenha mais informações no site da DIVE 

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde (DIVE/SES) informa que, de 1º a 18 de janeiro de 2018, foram notificados cinco casos suspeitos de febre amarela no estado, que estão sob investigação.

Todos os casos tiveram deslocamento para áreas com transmissão fora de Santa Catarina e aguardam resultado laboratorial. Desses, 02 casos evoluíram para óbito, um residente em Gaspar e o outro morador de Lajeado Grande. Ambos com histórico de viagens para o estado de São Paulo.

Os exames são realizados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) do Paraná, laboratório de referência em febre amarela para Santa Catarina, e os resultados podem levar até 20 dias para serem liberados.

Até o momento, a principal forma de prevenção é a vacina, que faz parte do Calendário Nacional de Vacinação.  No município de São Joaquim, as vacinações acontecem nas Quartas e Sextas, no horário 8h00 às 11h00 das 13h00 às 17h00hs.

Em contato com a secretaria de Saúde do município de São Joaquim, Teresinha Godoy Vieira,  já está ciente sobre o caso de São Joaquim, mas poderá informar depois da confirmação. “Sobre a questão do paciente que foi confirmado com febre amarela só posso confirmar na segunda, pois precisamos fazer a confirmação através da vigilância epidemiológica” explica Teresinha.

Apesar de Santa Catarina não registrar casos de febre amarela em humanos desde 1966, a vacinação contra a doença é indicada para 100% da população de 162 municípios catarinenses, localizados nas regiões Oeste, Planalto Serrano e parte do Planalto Norte, que integram a Área com Recomendação de Vacina contra Febre Amarela (ACRV).

O Ministério da Saúde reforça a necessidade de vacinação para todas às pessoas que residem ou viajam para regiões silvestres, rurais ou de mata de qualquer um dos 3.530 municípios brasileiros considerados Áreas com Recomendação da Vacina. Essas cidades são localizadas em todos os estados das regiões Norte e Centro Oeste; em Minas Gerais e no Maranhão e em alguns municípios do Piauí, Bahia, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.