Com ocupação total de leitos de UTI, era de imaginar a dimensão da pandemia na Serra Catarinense. O comparativo semanal, finalizado às 17h desta quarta-feira (25) pelo Setor de Comunicação da Amures, aponta para um recorde em confirmações e casos ativos do novo Coronavírus desde o início da pandemia. Esses números seguem a lógica do Estado.
O número percentual de confirmações, ou seja, novas infecções quase dobrou em relação à última semana. Entre os dias 11 e 18 de novembro, o aumento foi de 10,17%. Nesta semana, os registros de aumentos foram de 19,58% que totaliza em 9.819 infecções pelo vírus.
Seguido percentualmente, os registros de óbitos ficaram em segundo lugar. Com cinco novos em toda a região, o aumento percentual ficou em 3,47%. Em números totais, os 18 municípios somam 149 vítimas fatais. O município com o maior número é Lages, com 101 mortes, seguido de Correia Pinto com 14 e São Joaquim com sete. Com exceção de Painel, Palmeira e Urupema, os outros doze registram ao menos um caso de óbito.
A única porcentagem que reduziu nos últimos sete dias, foi a de recuperados. No último levantamento, o aumento foi de 7,71% que alcançava um índice de 87,69% de recuperação. Nesta semana, a redução ficou em 6,56%. Em números totais, são 7.674 pacientes.
No último boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde de Lages, na manhã desta terça (24), a taxa de ocupação de leitos de UTI continuava em 100% e os leitos de enfermaria subiram de 79% para 84%. Destes internamentos, 66 pacientes são de Lages – entre confirmados e suspeitos – e outros 32 de outras cidades da região e do estado.

Região da Amures em nível gravíssimo

Divulgada nesta quarta (25) a nova matriz de risco do Centro de Operações em Emergências de Saúde – Coes do Governo do Estado, das 16 regiões catarinenses, 13 estão em nível gravíssimo de contaminação e apenas três em nível grave.
Se comparado com a semana anterior, apenas três regiões eram consideradas em nível gravíssimo. Situação essa que se inverteu nesta semana. A Serra Catarinense e outras 12 regiões estão classificadas em nível gravíssimo.
Com isso, a região passa a adotar medidas anteriormente colocadas pelo Governo do Estado. Como redução na capacidade total de ambientes, suspensão de eventos e atividades, dentre outras. Nos 18 municípios, as restrições seguem as mesmas, sob domínio do Estado, com exceção daqueles que adotaram medidas mais restritivas.

Lockdown é descartado

Até o momento, a posição dos prefeitos municipais é para que não haja medidas tão restritivas como o fechamento de todas as atividades não essenciais. Para o prefeito de Correia Pinto e Presidente da Amures, Celso Rogério, o que leva a região neste estado de calamidade são as pessoas. “A indústria e o comércio, estão seguindo medidas rígidas. O que nós precisamos fazer agora é estimular a conduta da população para que evitem aglomerações, utilizem máscara e façam uso dos protocolos de higiene”.
Para o presidente, esse aumento de casos, ocupação de leitos de UTI e óbitos são decorrentes de feriados prolongados e do processo eleitoral. “O Tribunal Superior Eleitoral autorizou a eleição e não tem como fazer campanha sem o contato humano. Mas além disso, o feriado prolongado do início do ano, o excesso de festas e aglomerações colaboraram para isso”.
Espera-se que até o final do dia, haja manifestação por parte do Governo do Estado. Entre justificativas e novas medidas, todas poderão ser anunciadas pelo executivo, pela Secretaria de Estado da Saúde ou pelo Coes.