As cidades de Palmeira, Anita Garibaldi e Bocaina do Sul, na Serra de Santa Catarina, tiveram casos confirmados de mortes de macacos por Febre Amarela pelo Laboratório Central (Lacen). A última confirmação veio nesta terça-feira (2), em Palmeira. 

Segundo a Secretaria de Saúde do munícipio, o macaco foi encontrado morto na localidade de São Sebastião do Canoas, no dia 19 de janeiro, mas o resultado do exame só foi divulgado agora. O teste mostrou que o animal foi contaminado pela doença do tipo Silvestre, ou seja, que é transmitida em humanos por meio de mosquitos infectados com o vírus.

A Secretaria também aguarda o resultado de outros três casos de macacos que foram encontrados mortos no município, na localidade de Mato Escuro. Essa é a primeira vez nos últimos quatro anos que Palmeira, com pouco mais de 6,6 mil habitantes, tem confirmação de casos de Febre Amarela. 

Neste ano, até agora já são quatro confirmações de mortes de macacos pela doença em Santa Catarina. Além da Serra, outro caso confirmado foi no Planalto Norte, em Mafra. 

No ano passado, 134 macacos morreram por causa da Febre Amarela em SC. Já em casos em humanos foram duas mortes. O animal não transmite a doença, ele apenas indica que o vírus está circulando naquela região. 

A única forma de se prevenir da Febre Amarela, que é transmitida pelo mosquito Aedes Aegipty, é tomando a vacina. As doses estão disponíveis nos postos de vacinação de todo o Estado para quem tem entre seis meses e 60 anos de idade. Em Palmeira, município que teve caso confirmado, está previsto um dia D de vacinação contra Febre Amarela, em 13 de fevereiro.