Unifique

O turismo foi um dos setores mais sentiu os impactos negativos da pandemia de covid-19.

Mas a melhora do cenário pandêmico aliviou a situação do setor, que vem, há alguns meses, em processo de reaquecimento.

Dados do Caged, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério do Trabalho, revelam que Turismo foi responsável por 35 de cada 100 vagas formais de emprego criadas em junho no país.

No sexto mês do ano, o país contabilizou quase 278 mil novos postos com carteira assinada; 97 mil e 700 deles foram em atividades ligadas ao setor.

O Índice de Atividades Turísticas, medido pelo IBGE, também aponta o bom desempenho do setor nos últimos meses.

Entre janeiro e maio deste ano, o indicador registrou alta de 50%, em relação ao mesmo período de 2021, resultado que foi impulsionado, segundo o Instituto, principalmente pelos segmentos de transporte aéreo e rodoviário de passageiros, restaurantes, hotéis, locação de automóveis, e serviços de bufê.

A senadora e candidata à presidência da República pelo centro democrático, Simone Tebet, acredita que a economia brasileira pode se beneficiar ainda mais se investir em políticas púbicas que incentivem o turismo interno:

 

Além de fomentar a economia, estimular o turismo interno, segundo Simone Tebet, é também uma forma de recuperar o orgulho nacional.

 

Levantamento divulgado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo revelou que, em 2021, o turismo no Brasil cresceu 12% em comparação a 2020 – percentual que representa um faturamento de R$ 152,4 bilhões.

Esse volume, no entanto, perde para o verificado em 2019, ano pré-pandemia, quando a soma ultrapassou R$ 200 bilhões