A festa da colheita da uva está levando centenas de visitantes para as vinícolas da Região Serrana e do meio oeste. No roteiro São Joaquim, Urupema, Bom Retiro, Campo Belo do Sul e Água Doce. Todos os finais de semana de março tem programação especial em 14 vinícolas.

O visitante pode ajudar na colheita da uva, participar do processo de transformação do vinho, aprender sobre técnicas francesas como a Sabrage, onde o espumante é aberto com uma faca. Além disso, tem os almoços e jantares harmonizados com apresentações culturais. A Vindima chega a sua 6ª edição e é realizada até o dia 31 de março.

Turistas de várias partes do país já fizeram reservas para conhecer as vinícolas, pessoas de estados como São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e até mesmo da Alemanha. Para participar da experiência é preciso agendar as visitas diretamente nas vinícolas.

Em Santa Catarina os vinhos produzidos na região de altitude são reconhecidos mundialmente. Os vinhedos ficam em regiões entre 800 e 1.400 metros de altitude. Nesse ano, a expectativa é que sejam colhidas, no estado, um milhão de quilos de uva.

20 anos de produção

2019 marca o ano do 20º aniversário dos primeiros plantios de parreiras nos campos de altitude da Santa Catarina. Cinco anos depois vieram os primeiros testes e, em 2005, os vinhos pioneiros, que evoluíram a ponto de o produto estar hoje nas gôndolas, restaurantes e casas especializadas de todo o Brasil.

“Em 15 anos, nossos vinhos se tornaram referência em qualidade e ganharam prêmios nacionais e internacionais”, destaca Eduardo Bassetti, presidente da Associação Vinhos de Altitude Produtores e Associados.

Fonte: NSC – Eduarda Demeneck