Confeccionadas em Lages, as peças chegam com uma mensagem positiva de reflexão, um texto explicativo sobre o projeto e a oportunidade de aliviar as dores e o desconforto trazidos pela cirurgia de retirada do câncer de mama. As doações das “almofadas do coração” têm proporcionado à mulheres da Serra Catarinense e de outras regiões do estado dias melhores. Nesta semana, a servidora do Fórum Nereu Ramos, Angelita Barroso, está atendendo um pedido de São Paulo, que chegou pelas redes sociais.

Faz mais ou menos três anos que ela se engajou na iniciativa surgida nos Estados Unidos. A descoberta é de Janet Kramer Mai, especialista em câncer de mama. O formado de coração faz com que a almofada se encaixe embaixo na axila, o que diminui a dor física do ombro e braço e traz um acalento psicológico para as pacientes em tratamento por conta da simbologia da forma, que traz o amor, carinho e atenção.

Em casa, Angelita separou um quarto só para acomodar as máquinas, linhas e tecidos coloridos que usa na confecção das almofadas e naninhas para crianças carentes. Quando começou, recebeu muita ajuda dos colegas de trabalho com a doação dos panos e de fibras para enchimento. “Agora, tenho um estoque me permite fazer muita coisa. O que gostaria é que a ideia chegasse ainda mais longe para que o número de mulheres beneficiadas aumente”, revela.

Angelita produz tudo sozinha nos dias de folga, fins de semana e à noite. “Enquanto isso, o marido lava a louça. Já é uma ajuda”, brinca. Ela conta com apoio de algumas pessoas que levam as almofadas para outras cidades, como Chapecó, no Oeste, e Florianópolis, no litoral. Os principais pontos de entrega são na Unidade de Alta Complexidade Oncológica e radioterapia do Hospital Tereza Ramos, em Lages. Ainda neste mês, 100 unidades devem ser enviadas à campanha desenvolvida pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

Multiplicar a ideia

Na campanha do Outubro Rosa de 2018, a servidora ensinou as colegas fazerem as almofadas sem precisar de uma máquina de costura. “Fizemos tudo a mão e deu certo. Quando a gente quer muito uma coisa, acontece”. No evento deste ano, marcado para esta sexta-feira (11), às 15h, no Fórum, Angelita vai convidar as participantes para entregar as almofadas para as mulheres em tratamento.

“A gente não precisa esperar que algo ocorra em nossas vidas para ajudar os outros. Para que aguardar o período da aposentadoria ou quando os filhos estiverem crescidos para aí ser solidário a quem precisa? Se podemos fazer agora, vamos fazer”.

Na atividade em Lages, uma enfermeira falará sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama. Num bate-papo, uma professora irá contar como descobriu e está se curando da doença e uma profissional da área da beleza vai dar dicas de como cuidar da pele. Ainda haverá um café colaborativo.

Taina Borges
NCI/TJSC – comarca de Lages