[dropcap]O[/dropcap] Curso Técnico em Agronegócio da rede e-Tec, desenvolvido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR/SC), órgão vinculado à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC), registrou recorde de inscrições no processo seletivo em Santa Catarina. Foram484 pessoas inscritas no Estado para cinco polos de apoio presencial. A classificação geral será publicada nesta quinta-feira (22) no portal www.senar.org.br/etec/.

O maior número de inscrições foi no polo de Canoinhas com 137, na sequência vieram Seara (97)Fraiburgo (88)Araranguá (86) e São Joaquim (76). Após as inscrições inicia o processo de seleção que é aplicado com base na análise curricular a qual é eliminatória e classificatória.

“Consiste na análise do histórico escolar, anexado no momento da inscrição. O sistema calcula automaticamente a média final que resultará na classificação dos candidatos”, explica a coordenadora do curso no SENAR/SC Katia Zanela. Segundo ela, os candidatos serão classificados em ordem decrescente de pontuação conforme os critérios estabelecidos no edital.

O aumento na procura do curso é motivo de comemoração para o Sistema FAESC/SENAR-SC. “Isso demonstra a credibilidade e seriedade do curso perante o agronegócio catarinense. Esse ano tivemos também a grata satisfação de presenciar o crescimento das inscrições de produtores rurais. É motivo de imensa alegria ver que o futuro do setor está sendo pensado com base na qualificação do meio rural, levando para as propriedades o que de mais atual existe em tecnologia a fim de ampliar a produtividade e a rentabilidade”, observa o presidente do Sistema José Zeferino Pedrozo.

FORMAÇÃO TÉCNICA DE QUALIDADE

         O superintendente do SENAR/SC Gilmar Antônio Zanluchi destaca o crescimento do Curso Técnico em Agronegócio no Estado. Atualmente funcionam dez polos presenciais: Araranguá, Braço do Norte, Campo Alegre, Canoinhas, Fraiburgo, Rio do Sul, São Joaquim, São José, São Miguel do Oeste e Seara.

“O curso é reconhecido pelo MEC e pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA). Tem carga horária de 1.230 horas, divididas em 80% a distância e 20% com aulas presenciais, facilitando a adesão e participação dos alunos. O principal desafio é aumentar a eficiência do mercado agrícola e industrial. O profissional planeja e auxilia na organização e controle das atividades de gestão do negócio rural. Sem dúvidas é um avanço para o agronegócio catarinense”, conclui Zanluchi.