Nos últimos anos, o avanço da tecnologia e disponibilidade de exames
diagnósticos permitiu maior precisão e antecedência na detecção de doenças.
Contudo, gerou também uma maior realização de exames sem necessidade,
com condutas médicas excessivas e invasivas, incluindo prescrição de
tratamentos desnecessários e danosos.
Na maioria dos casos, os resultados dos exames apresentam pequenas
alterações, sem nenhuma consequência para a saúde, o que causa angústia
desnecessária nos pacientes.
É frequente o paciente chegar no consultório médico pedindo para realizar vários
exames, sem que isso realmente seja importante ou traga benefício para sua
saúde. Exames são ferramentas de apoio ao diagnóstico médico e não são
isentos de riscos ou efeitos colaterais.
Uma consulta é baseada na troca de informações entre médico e paciente (o
motivo da consulta, com queixas, sintomas, histórico pessoal e familiar) e o
exame físico. Com essas informações o médico pode elaborar a suspeita
diagnóstica que, se necessária, será confirmada por exames.
Assim, quanto mais exames o médico pede, não significa que você está protegendo
e cuidando mais da sua saúde. Além disso, é importante compreender que nem
sempre o exame mais caro ou de última geração é o melhor.
Conversar com seu médico de confiança, tirar dúvidas e principalmente adotar
um estilo de vida mais saudável é a melhor solução para um melhor cuidado com
sua saúde.

Por Ivan Nunes