Unifique

[dropcap]A [/dropcap]tireoide é uma glândula localizada no pescoço responsável por regular a função metabólica do corpo. É na Tireoide que acontece a produção dos hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina), hormônios que estimulam o metabolismo.

O hipotireoidismo é a diminuição da função normal da tireoide. Caracterizado então pela diminuição na produção dos hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina). É mais comum em mulheres, contudo pode acometer qualquer pessoa, incluindo recém-nascidos.

A principal causa de hipotireoidismo é uma doença autoimune, sem cura, conhecida com Tireoidite de Hashimoto. Nela, o organismo produz anticorpos que danificam progressivamente a tireoide e consequentemente sua função.

Outras inflamações passageiras podem gerar quadro de hipotireoidismo por um certo período, não permanente, pois a glândula não é destruída como na Tireoidite de Hashimoto. Os sintomas são diversos, podendo o paciente apresentar depressão, dificuldade para evacuar, cansaço excessivo, unhas mais quebradiças, pele seca, queda de cabelo, sonolência excessiva, dificuldade de raciocinar, alteração menstrual e discreto ganho de peso.

O diagnóstico é baseado no conjunto de sintomas associado a dosagem no sangue de TSH e dos hormônios produzidos pela tireoide. Em recém-nascidos o diagnóstico é feito através do teste do pezinho.

O tratamento do hipotireoidismo é feito com a reposição oral dos hormônios em falta, através do uso diário de levotiroxina em jejum. A dose é ajustada gradualmente pelo médico, até que os níveis estejam adequados no sangue.

Se não tratado corretamente o hipotireoidismo pode evoluir com complicações, como o coma mixedematoso, onde o fluxo de sangue cerebral diminui, deixando a pessoa desorientada, confusa, podendo levar até o estado de coma.