Foto:Wagner Urbano

[dropcap]H[/dropcap]á mais de 10 anos, José Gilmar Goulart Matos produz mel do tipo canudo-de-pito. Ele aprendeu os detalhes da produção e hoje se dedica somente a vender este mel. O produto é diferente no sabor, cor e textura se relacionado ao que compramos no mercado. O canudo-de-pito é mais dourado e adocicado, mas de uma forma suave, pois não fixa na garganta, facilitando a degustação. O apicultor diz que esse mel dá vontade de comer sempre mais e quem consome uma vez, compra mais e pede pelo mel dourado.

O mel premiado com medalha de ouro é difícil de encontrar e também mais caro. A abelhas retiram o pólen da flor canudo-de-pito, de onde vem o nome do mel. O do tipo normal é vendido a R$ 18 o quilo e o do tipo de canudo-de-pito chega a R$ 30. O mel de bracatinga também é raro e mais caro, pois não é sempre que é produzido.

As abelhas fazem a partir do líquido açucarado que a cochonilha produz ao se alimentar da seiva da bracatinga. “Um apicultor da região, chamado Roberto Pritz, tirou o mel produzido pelas abelhas com a flor canudo-de-pito e mandou para a Suécia, onde foi premiado. Infelizmente, há pouca divulgação e muitos nem sabem que produzimos.”

Esse mel não é encontrado nos supermercados, pois a produção é limitada, apesar de ter safra todo o ano. A florada inicia-se em dezembro e vai até fevereiro, pode mudar um pouco a data devido às mudanças climáticas. “Já experimentamos plantar as flores, mas não dá certo. Esse pólen só é colhido pelas abelhas na região próxima às margens do Rio Pelotas e do Rio Lavatudo e não é em todos lugares. O que atrapalha muito nossa produção são as queimadas.”

A produção dele muda muito de um ano para o outro, varia de acordo com o clima e a quantidade de queimadas, por isso, prefere não dizer a quantidade.

Foto:Wagner Urbano

“Já cheguei a tirar mel até três vezes quando não teve queimada, nem muita chuva e nem muito calor. Outro detalhe é um besouro azul, se ele chegar nas flores, a abelha não vai até elas. Uma vez não consegui produção e foi por isso, aí um apicultor mais experiente me explicou que esse besouro solta um cheiro forte e espanta as abelhas. São vários detalhes, mas no fundo vale a pena.”

Abelha na flor do Canuto de Pito – Foto:Wagner Urbano

As dificuldades também são outro fator que inibe a produção desse tipo de mel. Segundo informações do engenheiro agrônomo da Epagri de São Joaquim, Filipe Souza Oliveira, somente dois apicultores do município produzem o mel canudo-de-pito.

Fonte Correio Lageano

Fotos: Wagner Urbano