[dropcap]E[/dropcap]stiveram presentes na Prefeitura Municipal de São Joaquim, membros da equipe da CELESC e da EDP Energias do Brasil, onde foram recebidos pelo vice-prefeito Mauricio Yamashiro,  para explicar sobre o maior empreendimento do setor elétrico catarinense, o sistema de transmissão orçado em R$ 1,3 bilhão, que será feito pelo consórcio integrado pela Celesc e a multinacional Energias de Portugal (EDP) começa a ser executado.

O projeto inclui a construção de 449 quilômetros de linhas de transmissão de 525 kV, 35,5 quilômetros de linhas de transmissão de 230 kV e uma subestação de 252/230 kV.

O objetivo é reforçar as linhas de alta tensão no Estado e criar uma nova conexão das linhas de transmissão locais com o sistema interligado nacional. As novas linhas passarão por 29 municípios do Estado.

O direito de realização dessa obra foi conquistado no leilão 005/2016 realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em 24 de abril deste ano. Trata-se do lote 21, vencido pelo consórcio Aliança, composto pela Celesc e a EDP Energias do Brasil.

Da parte da Celesc, quem acompanha diretamente esse início de obras é o presidente Cleverson Siewert e o diretor de Geração, Transmissão e Novos Negócios, Enio Andrade Branco. Com o objetivo de apresentar detalhes sobre o empreendimento, representantes das duas empresas conversaram com fornecedores de materiais e serviços, além de prefeitos dos municípios por onde passarão as obras e órgãos ambientais.

O plano do consórcio é iniciar o licenciamento ambiental, levantamento fundiário e topografia ainda neste mês de junho. No caso dos serviços, a intenção é optar por fornecedores com conhecimento da região e experiência comprovada.

O prazo para a realização das obras é de 60 meses e o novo sistema de transmissão deverá entrar em operação em agosto de 2022. Esse projeto é um dos principais passos da Celesc rumo à diversificação de atividades. A empresa planeja obter mais receitas de outras fontes. Hoje, obtém mais de 95% com distribuição em SC.