[dropcap]O[/dropcap] mosquito borrachudo é, na verdade, uma denominação dada a diversas espécies de mosquitos que se alimentam de sangue. Este tipo de mosquito pode habitar em cidades, campo e praia, e pode transmitir doenças, além de poder ser bastante alergênico.

Em São Joaquim, a secretaria de Agricultura faz um trabalho para amenizar e quebrar o ciclo de reprodução do inseto. São 20 pontos de aplicação em 12 km de rios que cortam a cidade. O ciclo de vida do borrachudo ocorre em ambientes diferentes: no terrestre se desenvolve o adulto alado; e no aquático são encontrados ovos e larvas.

A duração de cada estágio do ciclo de vida está na dependência de inúmeros fatores, como espécie, temperatura e alimentação disponível. Os adultos podem viver na natureza por mais ou menos 3 a 4 semanas, completando assim o ciclo de vida dos simulídeos. Em baixas temperaturas, de 8°C a 10°C, as fêmeas adultas permanecem em letargia. Só a partir de 12°C a 15°C começam a atividade de voo. O raio de vôo dos adultos é aproximadamente 40 Km de distância a partir do curso d água. Os adultos usam como suporte de descanso arvores e plantas herbáceas.

Para o técnico Agrícola da Prefeitura, André Spolti, responsável pela aplicação do larvicida, o trabalho de aplicação é feito a muito tempo na cidade, sendo feito nos rios que cortam o município. “A preocupação é que a gente são passe de 21 dias entre a aplicações, que é o ciclo de larva para adulto, para que possamos ter maior controle sobre esses mosquitos” explica André.

Com os fatores adversos de clima e chuvas na região, a situação de esgoto e com período de rios um pouco mais seco, aumenta a quantidade de matéria organiza na agua e onde se aumenta a quantidade do produto aplicado.

A comunidade pode ajudar organizando e não jogando lixo nos rios e em via pública. O município realiza uma coleta com horários específicos, com esses cuidados, pode ajudar a manter baixo o fluxo de borrachudos na cidade.

Medidas de prevenção contra picadas de borrachudos

A prevenção contra picadas de borrachudos dá-se com o uso de repelentes tópicos podendo ser naturais como citronela, óleo de alho e outros. Uma outra alternativa é a ingestão de vitaminas B6 horas antes de se expor aos borrachudos.

Usar camisa de manga comprida, calça, meias ou botas evitando que fiquem partes do corpo expostas. Evitar as áreas que se concentra grande densidade de simulídeo no horário de pico de suas picadas é um meio de se proteger contra as picadas.