O termo Radiestesia foi criada em 1892 por Abade Bouly e representa a união de dois termos: radius, que vem do latim e significa radiação, e aisthesis, de origem grega e que significa sensibilidade, indicando assim a sensibilidade às radiações.

 Tudo é energia. Há emanações energéticas passando pelo seu corpo agora mesmo, e quando falo de energia não é de forma abstrata, a cada batida do nosso coração é produzida uma corrente de um clico por segundo que produz um watt de potência elétrica, sim energia elétrica como a que você usa para ligar um aparelho de TV na tomada, mas obviamente em proporções menores. Esta eletricidade, que no caso é denominada de bioeletricidade é visualizada com muita facilidade através de um eletrocardiograma ou do eletrocenfalograma. Através de uma placa metálica colocada na mão de uma pessoa é possível visualizar as leituras da bioeletricidade que variam de 5.000 a 20.000 volts eletrostáticos.

HISTÓRIA

A radiestesia faz parte da história do desenvolvimento humano, como a própria história já comprovou, no Vale Dos Reis no Egito foi encontrado uma quantidade numerosa de pêndulos, na China, 2000 anos antes de nossa era, os radiestesistas usavam essa arte para encontrar fontes  de água, minérios, e usavam também na agricultura. Roma foi construída sobre um lugar escolhido por um radiestesista etrusco que determinou a zona de influências, favoráveis para a implantação da cidade. Durante a Idade Média o uso da radiestesia foi confundido com as práticas de magia negra e assim foi condenado pela inquisição, mas desde 1546, instrumentos de madeira (forquilhas) são usadas novamente, principalmente na exploração do subsolo em toda a Europa.

A RADIESTESIA NAS TERAPIAS HOLÍSTICAS

Entendido que tudo emite algum tipo de carga elétrica e é possível medi-la de varias formas, a Radiestesia vem como uma grande aliada nas terapias como uma forma precisa de medir as condições energéticas de cada corpo.

Por vezes quando um atendimento nos deixa em duvidas, a radiestesia nos mostra com clareza onde está havendo uma energia exacerbada, através de três instrumentos base: Pendulo, Dual Road e Aurameter . Há também os casos, de pessoas que são mais praticas e preferem o atendimento preciso da Radiestesia lhe apontando os principais locais onde deve se ter mais atenção, quais frequência de cor são necessárias para neutralizar algum mal-estar e por quanto tempo tal terapia deve ser efetuada.

E há também outra questão muito importante nas enfermidades energéticas, como já vimos no outro texto, há lugares que nos adoecem, nos deixam tristes, sugam nossas forças e não sabemos o porque. As vezes, a casa em que mora é nova, construída do zero, mas a sensação de mal estar é forte, ou em determinados pontos da casa lhe dão uma leve dor de cabeça, um radiestesista pode lhe apontar os focos de distúrbios, cujo a razão vai variar de caso para caso.

Dentro de toda esta praticidade, há formas variadas de uso, com gráficos, mesa radiônica, essências e uso pendular para reconfigurações energéticas. A radiestesia é uma grande ferramenta para o terapeuta e uma segurança a mais para o cliente.

Surgiu alguma duvida ou curiosidade? Entre em contato, será um prazer lhe falar mais sobre esta técnica, até a próxima!

Terapeuta Holística Karoline Farias

@saber.ancestral