Por  – Correio Lageano 

Sem os financiamentos que fez através do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), o produtor Paulo André de Andrade, 36 anos, não conseguiria fazer todos investimentos que realiza em sua propriedade. Ele já fez três financiamentos, um para comprar vaca, outro para investir no pomar e o último será para fazer um poço artesiano.

Ele considera essencial a possibilidade dos empréstimos, mas afirma que seria preciso mais recursos disponíveis no banco para isso. “Eu pago por ano e são prestações que cabem no meu bolso. Porém, o gerente me disse que não tinha muito dinheiro para emprestar, que se fosse muita gente iria faltar”, avalia.

Com as melhorias que conseguiu fazer com os recursos, ele aumentou sua produção. Com o poço artesiano que terá 115 metros, conseguirá usar a água para os animais, molhar a produção e em tudo o mais que precisar.

O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou medidas para assegurar recursos adicionais nesta safra para o financiamento aos pequenos e médios produtores rurais. De acordo com nota do Banco Central, a medida leva em conta as discussões com vistas a um novo modelo de fomento à agricultura para esses produtores.

A principal medida aprovada foi a alocação adicional de recursos para operações de custeio agrícola e pecuário no âmbito do Pronaf e do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), que era uma demanda da Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Essa medida deve assegurar novos recursos de cerca de R$ 6 bilhões para os pequenos e os médios produtores. A alocação de recursos adicionais tem caráter temporário, com vigência entre 1º de fevereiro e 30 de junho de 2019. As informações são do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Fonte: CL Mais